Circuito Difusão 2017

O Circuito Difusão amplia o alcance da Mostra Cinema e Direitos Humanos e leva cultura e debate sobre Direitos Humanos para locais em que a oferta de bens culturais é escassa.

A 11ª  Mostra Cinema e Direitos Humanos também será realizada em espaços culturais pelo Brasil e exterior, assumindo um caráter descentralizador e democrático

Convocatória – Locais de Exibição para o Circuito Difusão ( INSCRIÇÕES ENCERRADAS)

11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos

A Mostra Cinema e Direitos Humanos é uma iniciativa de promoção da cultura e da educação em direitos humanos que visa a formação de uma nova mentalidade coletiva para o exercício da solidariedade e do respeito às diversidades.

A Mostra dedica-se a apresentar obras audiovisuais que discutem temas atuais de Direitos Humanos.

Realizada pelo Ministério dos Direitos Humanos com produção do Instituto Cultura em Movimento, e patrocínio da Petrobras e do Itaú, o circuito principal da 11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos aconteceu entre os meses de Maio e Junho de 2017 em todas as capitais do país.

 Circuito Difusão

Para ampliar o alcance da 11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos e levar cultura e debate sobre Direitos Humanos para locais em que a oferta de bens culturais é escassa, a Mostra também será realizada em até 1.000 (mil) espaços culturais pelo Brasil e exterior, assumindo um caráter descentralizador e democrático por meio do Circuito Difusão.
Convocatória

Previsto para os meses de Julho e Agosto de 2017, o Circuito Difusão da 11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos abre chamada para receber inscrição de quaisquer instituições e espaços culturais de todo o Brasil – cineclubes, pontos de cultura, institutos federais de educação profissional, científica e tecnológica, universidades, museus, bibliotecas, sindicatos, associações de bairros, telecentros, unidades do Sistema S, dentre outros –  e embaixadas e consulados brasileiros que se habilitem a exibir os filmes da Mostra a parcelas da sociedade que tem pouco ou nenhum acesso à cultura ou conhecimento de seus direitos.

A participação consiste na exibição de filmes da 11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos, que serão enviados gratuitamente às instituições habilitadas como locais de exibição pela produção do evento.

A ficha de inscrição para as instituições interessadas está disponível  do dia 10 de Julho ao dia 20 de Agosto, a inscrição é online e inteiramente gratuita.

REGULAMENTO – LOCAIS DE EXIBIÇÃO

A 11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos no Mundo abre chamada para receber inscrição de quaisquer instituições e espaços culturais de todo o Brasil – cineclubes, pontos de cultura, institutos federais de educação profissional, científica e tecnológica, universidades, museus, bibliotecas, sindicatos, associações de bairros, telecentros, unidades do Sistema S, dentre outros – e embaixadas e consulados brasileiros, que se habilitem a realizar sessões com os filmes da 11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos no Mundo para parcelas da sociedade que tem pouco ou nenhum acesso à cultura e conhecimento de seus direitos.

Os selecionados receberão o Kit Difusão, contendo obras audiovisuais cujo conteúdo contempla aspectos relacionados aos Direitos Humanos, tais como:

  • Direitos das pessoas com deficiência;
  • População LGBT/enfrentamento da homofobia;
  • Memória e verdade;
  • Crianças e adolescentes;
  • Pessoas idosas;
  • População negra;
  • População indígena e comunidades tradicionais;
  • População em situação de rua;
  • Mulheres;
  • Direitos Humanos e segurança pública;
  • Proteção aos defensores de Direitos Humanos;
  • Combate à tortura;
  • Registro civil de nascimento;
  • Situação prisional;
  • Saúde mental;
  • Democracia e Direitos Humanos.

 

  1. Dos Objetivos

Exibição de filmes de curta, média e longa metragem sobre Direitos Humanos nas 26 (vinte e seis) capitais brasileiras e no Distrito Federal, em cidades do interior do país e em embaixadas brasileiras e consulados no exterior, com foco na inclusão social e no debate sobre Direitos Humanos, por meio de sessões gratuitas.

São objetivos indiretos da iniciativa:

  • Envolver o público situado fora dos grandes centros e não habituado ao consumo de bens culturais no debate sobre seus direitos;
  • Promover a ampliação do debate sobre cultura e educação em Direitos Humanos através da produção cinematográfica.

 

  1. Da Inscrição (ENCERRADAS)

As inscrições para as instituições interessadas em participar da do Circuito Difusão da 11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos no Mundo estarão abertas de 10 de Julho a 20 de Agosto de 2017.  Os responsáveis pelas instituições devem preencher a ficha de inscrição no site http://mostracinemaedireitoshumanos.sdh.gov.br.

 

As instituições interessadas devem declarar que possuem espaço apropriado e acessível para a realização de sessões em formato digital, com audiodescrição e legendas em português.

As instituições interessadas devem indicar, em formulário específico no ato de inscrição, as condições de acessibilidade das instalações onde serão realizadas as sessões de exibição. O atendimento dos requisitos não é obrigatório para participação no Circuito Difusão da 11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos no Mundo, mas incentiva-se a realização de sessões inclusivas a pessoas com deficiência.

Não há previsão de contrapartida financeira pelas instituições interessadas. As despesas de envio do Kit Difusão serão de responsabilidade da produção nacional da 11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos no Mundo. O Kit Difusão ficará para o acervo das instituições selecionadas.

Todo e qualquer apoio ou patrocínio captado pela instituição para subsidiar a iniciativa será por ela administrado, não havendo vínculo com a referida Mostra.

3. Da seleção dos locais de exibição

Lista das Instituições Contempladas Circuito Difusão 2017

A lista das instituições selecionadas será divulgada até 05  de Setembro  de 2017, pela internet, no site da iniciativa e nos sites das instituições envolvidas na realização da iniciativa.

Apenas os selecionados serão contatados para confirmação de interesse e agendamento das datas de exibição. Uma vez habilitadas, as instituições selecionadas receberão gratuitamente o Kit Difusão, que contempla:

  • DVD contendo 10 filmes com closed caption, audiodescrição e libras.
  • Folder com informações acerca dos filmes que compõem o Kit Difusão;
  • Material de apoio para organização das sessões de exibição;
  • Cartazes para divulgação das sessões de exibição.

 

Em caso de demanda superior a 1.000 kits, as instituições serão selecionadas com base nos seguintes critérios:

  1. Distribuição regional;
  2. Maior atendimento aos requisitos de acessibilidade;
  3. Capacidade de atingir segmentos sem acesso à cultura;
  4. Capacidade de atendimento ao públic0
  5. Da Exibição

Os filmes serão exibidos em formato digital em programas por todo o Brasil, em até 1.000 instituições habilitadas.

As instituições selecionadas devem se comprometer a realizar, entre Agosto e Outubro de 2017, pelo menos três sessões dentre os programas recebidos no Kit Difusão, não sendo vedada a realização de outras mais.

Cada instituição deverá realizar pelo menos uma sessão acessível, de filme com audiodescrição e legendas em português e, se possível à instituição, com tradução para Libras, sendo facultada a realização de outras sessões a mais, a depender da demanda de cada localidade.

As peças publicitárias e os filmes do Kit Difusão seguirão adaptados para a divulgação e a realização da sessão acessível, mas, quanto à tradução para Libras, sua disponibilização é responsabilidade das instituições selecionadas para o Circuito Difusão.

A instituição selecionada deve garantir o espaço físico para exibição das sessões, os equipamentos necessários à exibição (aparelho de DVD, projetor e sonorização), bem como a organização da sessão, a divulgação na localidade e a mobilização de público.

A instituição selecionada poderá realizar atividades complementares às sessões de exibição relacionadas à iniciativa, tais como: oficinas, debates, seminário, mostras regionais e locais, exposições e apresentações, entre outros relacionados a temas de Direitos Humanos

  1. Do Acompanhamento

A instituição selecionada se compromete a realizar prioritariamente, via Internet, um Relatório de Acompanhamento do Circuito Difusão da 11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos no Mundo, contendo, dentre outras variáveis:

  • Quantidade de sessões realizadas;
  • Quantidade de sessões acessíveis realizadas;
  • Quantidade e caracterização do público alcançado;
  • Meios e material de divulgação utilizados;
  • Matérias que saíram sobre a mostra na imprensa local ou nacional (seja ela impressa, televisiva, em rádio ou na internet);
  • Fotos e relato da experiência em sua instituição;
  • Quantidade de pessoas envolvidas na produção das sessões de exibição;
  • Quantidade de atividades complementares realizadas.

O não preenchimento do relatório de acompanhamento acarretará na impossibilidade de participação em edições posteriores do Circuito Difusão da Mostra Cinema e Direitos Humanos no Mundo.

O preenchimento do Relatório de Acompanhamento do Circuito Difusão deverá ser realizado até o dia 05 de Novembro de 2017.

 

  1. Disposições Gerais

A inscrição da instituição na 11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos no Mundo implica na plena aceitação deste regulamento.

11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos

Mais informações podem ser obtidas pelos contatos:

Instituto Cultura em Movimento – icem@icemvirtual.org.br +55 21 3804.5600

Ministério dos Direitos Humanos – educacaoemdireitoshumanos@sdh.gov.br

 

Filmes Selecionados do Kit Circuito Difusão 2017


Baixe aqui o Cartaz de Divulgação do Projeto

Facebook 11ª Mostra


  Meu Nome é Jacque – Angela Zoé | Brasil | 2106 | 72 min| Documentário

Temática: Cidadania LGBT / Diversidade Sexual – Classificação indicativa: 12 anos

Sinopse: O documentário aborda a diversidade através da história de vida de Jaqueline Côrtes, uma mulher transexual brasileira, que vive com Aids. Militante pela causa, Jacque tem a vida marcada por lutas e conquistas como representante do governo brasileiro na ONU. Hoje mora numa pequena cidade, levando uma vida voltada para a maternidade e a família. Ao acompanhar o cotidiano de Jacque, este documentário apresenta os inúmeros desafios que foram rompidos pela personagem.

Ficha Técnica

Roteiro: Angela Zoé
Fotografia: Luís Abramo
Edição: Célia Freitas Edt, Fernando Botafogo e Marcelo Luna

 Trailler e Facebook :

Trailler – meu Nome é Jaque

 Facebook

Fotos :

Foto 1 – Meu Nome é Jacque

De Que Lado Me Olhas – Ana Carolina de Azevedo e Helena Sassi | Brasil | 2014 | 15 min | Documentário

Temática: Diversidade sexual / Cidadania LGBT – Classificação indicativa: Livre

Sinopse: “O que é não pede para ser, simplesmente é.” Em Porto Alegre, sete pessoas oferecem suas perspectivas sobre uma importante realidade desconversada.

Ficha Técnica

Roteiro: Carolina de Azevedo, Elena Sassi, Iuri Santos, Leonardo Michelon
Fotografia: Iuri Santos
Edição: Leonardo Michelon
Elenco: Alice, Sophia, Felipe, Angelix, Eric, Alex, Georgia

Trailler :

Trailler – De Que Lado Me Olhas

Fotos :

          

 Foto 1 – De Que Lado Me Olhas

Foto 2 – De Que Lado Me Olhas

Foto 3 – De Que Lado Me Olhas

 Depois Que Te Vi –  Vinícius Saramago | Brasil | 2016 | 16 min | Ficção

Temática: Direito das pessoas com deficiência – Classificação indicativa: Livre

Sinopse: Gustavo é um jovem autista que trabalha na farmácia do tio. Ele cumpre metodicamente sua rotina, mas isso muda quando ele sai para fazer uma entrega e vê uma menina passar de bicicleta. A partir daí seu foco passa a ser essa nova paixão.

Ficha Técnica

Roteiro: Vinicius Saramago
Fotografia: João Casalino
Edição: Talita Ghivelder
Elenco: Jorge Hissa, Roberto Frota e Anna Julia Leite

Fotos ( captura de Tela )

      

Foto 1 – Depois Que Eu Te Vi

Foto 2 – Depois Que Eu Te Vi

Foto 3 – Depois Que Eu Te Vi

Do Que Aprendi com Minhas Mais Velhas – Fernanda Julia e Susan Kalik | Brasil | 2016 | 26 min | Documentário

Temática: Diversidade religiosa / Cultura tradicional – Classificação indicativa: Livre

Sinopse: Do que aprendi com minhas mais velhas é um documentário sobre a fé no Candomblé e como essa fé é transmitida de geração em geração. Um filme onde mulheres importantes no Candomblé da Bahia falam como aprenderam com seus mais velhos e como ensinam seus mais jovens. Um filme sobre tradição, amor e religiosidade.

Ficha Técnica

Roteiro: Susan Kalik
Fotografia: Susan Kalik
Edição: Thiago Gomes

Trailler e Facebook :

Trailler – Do que Aprendi com as Mais Velhas

Facebook

Fotos :

  

Foto 1 – Do Que Aprendi Com As Mais velhas

Foto 2 – Do Que Aprendi Com As Mais velhas

Foto 3 – Do Que Aprendi Com As Mais velhas

Índios no Poder – Rodrigo Arajeju | Brasil | 2015 | 21 min | Documentário

Temática: Direito da população Indígena –Classificação indicativa: 10 anos

Sinopse: Mario Juruna, único índio parlamentar na história do país, não consegue se reeleger para a Constituinte (1987/88). Sem representante no Congresso Nacional desde a redemocratização, as Nações Indígenas sofrem golpes da Bancada Ruralista aos seus direitos constitucionais. O cacique Ládio Veron, filho de liderança Kaiowa Guarani executada na luta pela terra, lança candidatura a deputado federal nas Eleições 2014, sob ameaças do Agronegócio no Mato Grosso do Sul. Contra a PEC 215, seu slogan de campanha é “terra, vida, justiça e demarcação”.

Ficha Técnica :

Roteiro: Rodrigo Arajeju
Fotografia: André Carvalheira
Edição: Sergio Azevedo
Elenco: Deputado Mario Juruna (em memória), Valdelice Veron Kaiowa Guarani, Ailton Krenak, Doéthiro Álvaro Tukano, Aurivan “Negrinho” Truká, Sonia Guajajara e cacique Ládio Veron Kaiowa Guarani.

Trailler e Facebook :

Trailler – Índios no Poder

Facebook

Fotos:

     

Foto 1 – Índios no Poder

Foto 2 – Índios no Poder

Foto 3 – Índios no Poder

Imagine uma Menina com Cabelos de Brasil –  Alexandre Bersot | Brasil | 2010 | 10 min | Ficção

Temática: Direito da criança e adolescente – Classificação indicativa: Livre

Classificação indicativa: Livre

Sinopse: O cabelo, a fronteira final. Entre caretas e escovas, as viagens de uma menina em busca de aceitação.

Ficha Técnica

Roteiro: Alexandre Bersot
Edição: Alexandre Bersot

Fotos:

        

Foto 1 – Imagine Uma Menina do Cabelo Brasil

Foto 2 – Imagine Uma Menina do Cabelo Brasil

Hora do Lanchêêê – Claudia Mattos | Brasil | 2015 | 15 min | Ficção

Temática: Direito à alimentação adequada – Classificação indicativa: Livre –

Sinopse: Se não fosse pelo almoço gratuito na escola pública, os irmãos Joalisson, Joedson e Jowilson iriam ficar de barriga vazia o dia inteiro. A mãe dos meninos, que é solteira e está desempregada, tem dificuldade até mesmo para colocar comida em casa, mas não quer que os vizinhos saibam de seus problemas financeiros. Por isso, toda tarde, ela obriga as crianças a ir para a janela da frente e fingir que estão mastigando. A vizinhança toda acredita. Até quando essa farsa vai se sustentar?

Ficha Técnica

Roteiro: Claudia Mattos
Fotografia: Publius Vergilius
Edição: Claudia Mattos
Elenco: Emanuel Amorim, Pablo Araújo, Maurício Magno, Karla Belfort e José Luiz Ribeiro

Trailler :

Trailler – A Hora do Lanchêêê

 Fotos :

   

Foto 1 – Hora do Lanchêêê

Foto 2 – Hora do Lanchêêê

Foto 3 – Hora do Lanchêêê

Foto 4 – Hora do Lanchêêê

Cartão Vermelho –  Laís Bodanzky | Brasil | 1994 | 14 min | Ficção

Temática: Direitos das Mulheres – Classificação indicativa: 14 anos

Sinopse: Esse premiado curta-metragem da diretora revela o mundo de Fernanda, uma adolescente que joga futebol com os meninos, no momento em que é surpreendida pelos desejos de mulher.

Ficha Técnica:

Roteiro: Laís Bodanzky e Guilherme Vasconcelos
Fotografia: Luiz Adriano Daminello
Edição: Denise Adams

Fotos:

 

 

 

 

Foto 1 – Cartão vermelho

Foto 2 – Cartão vermelho

Foto 3 – Cartão vermelho

 

Mônica Toy – Mônica Freestyle

Foto do Filme

José Márcio Nicolosi  | Brasil | 2014 | 30 seg | Ficção

Temática: Direitos das mulheres

Classificação indicativa: Livre

Sinopse: Dona da Rua e dona da bola!

 Ficha técnica

Roteiro: José Márcio Nicolosi
Edição: Ivo Sobreira Gonçalves

Mônica Toy – Nana Nenê

Foto do Filme

José Márcio Nicolosi  | Brasil | 2016 | 30 seg | Ficção

Temática: Direitos das mulheres

Classificação indicativa: Livre

Sinopse: Shhh! Se o bebê acorda, o coelho gira!

Ficha técnica

Roteiro: José Márcio Nicolosi
Edição: Ivo Sobreira Gonçalves

___________________________________________________________________________

Fale conosco

educacaoemdireitoshumanos@sdh.gov.br

+55 61 2027 3905

http://www.sdh.gov.br

icem@icemvirtual.org.br

+55 21 3804 5600