Mostra de Direitos Humanos movimenta Cine Praia Grande

Com diversas temáticas que abordam os direitos humanos, mostra oferece sessões cinematográficas com audiodescrição e alguns debates

O filme Eu Não Quero Vol­tar Sozinho (Daniel Ri­beiro, Brasil, 2010) abre a programação da 10ª Mostra Cinema e Direitos Hu­manos no Mundo, que começa nesta quinta-feira e segue até o dia 9 dezembro, no Cine Praia Grande. A programação é intei­ramente gratuita e as sessões vão das 9 às 21h.

Por Patrícia Cunha.
O filme Eu Não Quero Vol­tar Sozinho (Daniel Ri­beiro, Brasil, 2010) abre a programação da 10ª Mostra Cinema e Direitos Hu­manos no Mundo, que começa nesta quinta-feira e segue até o dia 9 dezembro, no Cine Praia Grande. A programação é intei­ramente gratuita e as sessões vão das 9 às 21h.
Criada em 2006 como uma das ações estratégicas da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR) para ce­lebrar o aniversário da Declara­ção Universal de Direitos Huma­nos, proclamada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948, a Mostra Cinema e Direitos Humanos foi expandida ao longo dos últimos 10 anos e, atualmente, ocorre em todas as capitais federais do Brasil.
A mostra terá filmes de diver­sas temáticas que abordam os direitos humanos, sessões com audiodescrição e alguns debates. Todos os filmes vêm com closed-caption. A iniciativa da SDH/PR) tem produção do Instituto Cultu­ra em Movimento ICEM, sendo uma das ações do conjunto de políticas públicas do governo fe­deral para educação em direitos humanos. A mostra baseia-se no reconhecimento da conjunção entre cinema e direitos huma­nos como um instrumento efe­tivo na construção de uma cultu­ra de direitos humanos, baseada na reflexão e na participação da sociedade.
Nesses dez anos, a mostra expandiu em alcance e em es­copo – da América do Sul para o Hemisfério Sul, e agora, como Mostra Internacional, além de contar, pelo terceiro ano conse­cutivo, com cerca de 1.000 pontos de difusão pelo país, assumindo assim um caráter descentraliza­dor e democrático.
A programação compreende uma seleção de filmes contempo­râneos que são selecionados por meio de chamada pública, além de uma retrospectiva representa­tiva das 9ª edições anteriores, ho­menagens e programas especiais. Serão exibidas 40 obras, entre cur­tas, médias e longas-metragens, divididos em três mostras: Ho­menagem, Panorama e Temáti­ca. A Mostra Homenagem faz uma retrospectiva representativa das nove edições anteriores e exibe fil­mes premiados em cada edição, a Mostra Temática terá como foco Criança e Adolescente, e a Mos­tra Panorama reunirá 24 filmes produzidos a partir de 2011 no Brasil, França, Estados Unidos e Singapura, selecionados também por meio de chamada pública.
Eu Não Quero Voltar Sozinho foi lançado em 2014 e exibido em várias outras mostras e no circui­to nacional. Leonardo (Guilher­me Lobo) como qualquer ado­lescente, está em busca de seu lugar. Desejando ser mais inde­pendente, precisa lidar com suas limitações e a superproteção de sua mãe. Para decepção de sua inseparável melhor amiga, Gio­vana (Tess Amorim), ele planeja libertar-se de seu cotidiano fa­zendo uma viagem de intercâm­bio. Porém a chegada de Gabriel (Fábio Audi), um novo aluno na escola, desperta sentimentos até então desconhecidos em Leo, fa­zendo-o redescobrir sua manei­ra de ver o mundo novo para a vida dele e viver a inocência da descoberta do amor entre dois adolescentes gays.
A Visita, de Leandro Corinto, é um dos filmes contemporâneos sobre direitos humanos selecionados por meio de convocatória pública para mostra
Programação 3/12
14h – Mostra Temática – Criança e Adolescente
A Visita (Leandro Corinto, Brasil, 2014)
A Alma da Gente (Helena Soldberg e David Meyer, Brasil, 2013)
16h50 – Mostra Panorama
Quem Matou Eloá? (Lívia Perez, Brasil, 2015)
Habita-Me Se Em Ti Transito (Claudia Rangel, Brasil, 2014)
Léo (Mariani Ferreira, Brasil, 2015)
18h – Mostra Homenagem
Meu Amigo Nietzsche (Fáuston da Silva, Brasil, 2013)
Silêncio das Inocentes (Ique Gazzola, Brasil, 2010)
19h – Mostra Panorama
Abraço de Maré (Victor Ciriaco, Brasil, 2013)
Betinho – A Esperança Equilibrista (Victor Lopes, Brasil, 2015)

Deixe uma resposta