Cinema e direitos humanos em Belém

Mostra nacional chega a Belém com sessões gratuitas de filmes que retratam a defesa dos direitos humanos no Brasil; história de Betinho é destaque

Amanhã (18) será aberta a décima edição da Mostra Cinema e Direitos Humanos no Mundo em Belém. Serão seis dias (a Mostra vai até o dia 23) com a apresentação de 40 filmes entre curtas e longas-metragens que discutem temas como direitos de pessoas com deficiência, das comunidades LGBT e combate à homofobia, respeito a moradores de rua, direitos dos idosos e das crianças e adolescentes, sempre com entrada franca. A abertura será no Cine Líbero Luxardo, na Fundação Cultural do Pará (Centur), a partir de 20h. O evento é organizado pelo Governo Federal, através do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos e da Secretaria Especial de Direitos Humanos, com produção do ICEM – Instituto Cultura Em Movimento.

Betinho, cuja vida em filme é destaque na Mostra Cinema e Direitos humanos no Mundo, que chega a Belém. (Foto: Maria Nakano)Betinho, cuja vida em filme é destaque na Mostra Cinema e Direitos humanos no Mundo, que chega a Belém. (Foto: Maria Nakano)As exibições serão divididas em Homenagem (retrospectiva das nove edições anteriores do evento), Temática (produções sobre Criança e Adolescente) e Panorama (filmes do Brasil e de países como França e Cingapura).

A Mostra Cinema e Direitos Humanos no Mundo está passando por todas as capitais do país e pelo Distrito Federal. Apenas nesta semana haverá versões em Belo Horizonte (MG), Florianópolis(SC), Macapá (AP), Campo Grande(MS), Porto Velho (RO), e Aracajú (SE), promovendo sessões de filmes durante cerca de cinco dias seguidos em cada cidade. Essa turnê pelas capitais vai até o dia 20 de dezembro.

DESTAQUES

Entre os filmes que serão exibidos estão “Betinho – A Esperança Equilibrista”, de Victor Lopes que retrata a vida do sociólogo e ativista, Herbert de Souza, o Betinho, que tinha a saúde frágil, mas a força dos grandes idealistas. Lutou permanentemente contra as injustiças e liderou diversos movimentos sociais, mobilizando milhões de brasileiros a ajudar a mudar o rumo do país, e deixou seu legado mesmo depois de sua morte, em 1997. Outra obra é “Branco sai – Preto fica”, de Adirley Queirós. A cineasta Tizuka Yamasaki assina a direção do filme “Encantados”, que traz no elenco a atriz paraense Dira Paes ao lado de Carolina Oliveira e Thiago Martins.

Dira Paes no filme "Encantados". (Foto: Divulgação)
Dira Paes no filme “Encantados”. (Foto: Divulgação)

SERVIÇO | Abertura da 10ª Mostra Cinema e Direitos Humanos no Mundo em Belém

18 de novembro
20h
Local: Cine Líbero Luxardo, Fundação Cultural do Pará (Gentil, 650, esquina com Rui Barbosa)
Entrada franca

Fonte: Repórter E

Deixe uma resposta